quarta-feira, 29 de abril de 2015


Quando a amada oferece
o seu corpo, ela sabe
que dos frutos apenas
se colhe o sabor.
É então
que os dedos
separam as películas,
que a lâmina desce e a água
e o fogo se misturam.


Albano Martins

domingo, 26 de abril de 2015


Monstros e homens lado a lado,
Não à margem, mas na própria vida.

Absurdos monstros que circulam
Quase honestamente.
Homens atormentados, divididos, fracos.
Homens fortes, unidos, temperados.
Ao rosto vulgar dos dias,
A vida cada vez mais corrente,
As imagens regressam já experimentadas,
Quotidianas, razoáveis, surpreendentes.

Imaginar, primeiro, é ver.
Imaginar é conhecer, portanto agir.



Alexandre O´Neill

De ti e desta nuvem; desta nuvem
branca como voo de pássaro
em manhã de abril; de ti
e da íntima chama de um fogo 
que não consente extinção; 
de ti e de mim fazer um só acorde,
um acorde só; para não te perder.



Eugénio de Andrade

Dois corpos que se aproximam e crescem
e penetram na noite de sua pele e seu sexo.
duas escuridões enlaçadas
que inventam na sombra sua origem e seus deuses,
que dão nome, rosto à solidão,
desafiam a morte porque se sabem mortos,
derrotam a vida porque são sua presença.
Diante da vida, sim, diante da morte,
dois corpos impõem realidade aos gestos,
braços, coxas, húmida terra,
vento de chamas, tanque de cinzas.
Diante da vida, sim, diante da morte,
dois corpos conjuraram obstinadamente o tempo,
constroem a eternidade que se lhes nega,
sonham para sempre o sonho que os sonha,.
Sua noite repete-se num espelho negro.




– Juan Luis Panero


Chorei porque não era mais uma criança com a fé cega de criança. 

Chorei porque não podia mais acreditar e adoro acreditar. 

Chorei porque daqui em diante chorarei menos. 

Chorei porque perdi a minha dor e ainda não estou acostumada com a ausência dela.




Anaïs Nin

Tu tens de te defender da tristeza. 
A tristeza anda muito próxima do ódio. 
Deixa-me dizer-te isto. 
Foi uma coisa que eu aprendi. 
Se bebes o veneno de outra pessoa - julgando que podes curá-la se o partilhares -, só vais conseguir acumulá-lo dentro de ti.



Michael Ondaatje,

Sei das besteiras que faço,das besteiras que falo, de onde vêm os hematomas. 
Dos medos e dos fracassos. 
Sei o que penso na insônia, quando dou uma esmola, quando digo minha glória e penso nos vestidos. Sei das noites bebidas nos copos sujos e sujos, conheço cada pedaço da rua, conheço um pouco de tudo e sei que digo mentira quando digo "Sei de Tudo". 
Falo demais sobre mim e quando vejo já disse algumas verdades. 

(( Fernanda Young))

terça-feira, 21 de abril de 2015


Alguns anos depois, tinham desaparecido todos os vestígios da ferida


Ernst Jünger

segunda-feira, 20 de abril de 2015

Prisões....E o tombo foi, pra dentro de mim....


Nunca tinha caído
de tamanha altura em mim
antes de ter subido
às alturas do teu sorriso.
Regressava do teu sorriso
como de uma súbita ausência
ou como se tivesse lá ficado
e outro é que tivesse regressado.
Fora do teu sorriso
a minha vida parecia
a vida de outra pessoa
que fora de mim a vivia.
E a que eu regressava lentamente
como se antes do teu sorriso
alguém(eu provavelmente)
nunca tivesse existido.




Manuel António Pina,

domingo, 19 de abril de 2015

Divino


"Quando um pássaro descobre que ele e a
gaiola são coisas separadas, já se libertou."



Saeb Trabizi

Só os grandes amam a monotonia.




Clarice Lispector

Sonhar o sonho impossível,
Sofrer a angústia implacável,
Pisar onde os bravos não ousam,
Reparar o mal irreparável,
Amar um amor casto à distância,
Enfrentar o inimigo invencível,
Tentar quando as forças se esvaem,
Alcançar a estrela inatingível:
Essa é a minha busca.



Dom Quixote

sábado, 18 de abril de 2015

Cada coisa a seu tempo tem seu tempo...


Cada coisa a seu tempo tem seu tempo.
Não florescem no inverno os arvoredos,
Nem pela primavera
Têm branco frio os campos.


Fernando Pessoa

segunda-feira, 13 de abril de 2015

domingo, 12 de abril de 2015

ausências


Não é necessidade que tenho de você, pois você não me dói em nenhum lugar... pelo contrário. 

Sua presença já faz parte de mim e nem em suas ausências você me falta.






Clarice Lispector

- mas vou reconhecê-lo?


Por que não lhe disse antes?
 Apertá-lo demoradamente contra o meu peito e dizer. 
Não disse porque pensava que tinha pela frente a eternidade. 
Só me resta agora esperar que aconteça outra vez, vislumbro esse encontro 
- mas vou reconhecê-lo? 
E vou me reconhecer nos farrapos da memória do meu eu?



Lygia Fagundes Telles


Mas se apesar de banal. 
Chorar for inevitável. 
Sinta o gosto do sal. 
Sinta o gosto do sal. 

Gota a gota, uma a uma. 
Duas, três, dez, cem mil lágrimas, sinta o milagre.

A cada milágrimas sai um milagre. 




Itamar Assumpção e Alice Ruiz

sábado, 11 de abril de 2015


"Os lábios dele tocaram no dela e ela parou de pensar.

Só SeNTia."



Blue Valentine

Indiferença(s)


A resposta está estampada na distância e na frieza dos sorrisos,
na frouxidão dos abraços, na indiferença dos 
bom dia,
quase que sussurrados



Érico Veríssimo

quarta-feira, 8 de abril de 2015

Abençoados sejam


"(…) 
Tem vezes também em que oferto uma outra espécie de presente, que quem recebe jamais saberá que eu dei. 

Pode ser para alguém que eu sinta estar triste ou para alguém que eu perceba estar muito feliz, não importa. 

Não há lógica nem regra para ser seguida. 

Sem fazer ruído, a minha vida dirige para aquela pessoa a intenção de que a vida dela seja abençoada. 

Simples assim"


Ana Jácomo

terça-feira, 7 de abril de 2015


Respeite o silêncio a omissão, a ausência.
É meu movimento de deserção.
Abandonei o posto, rompi a corda, desacreditei de tudo.
Cansei de esperar que finalmente um dia, minha fotografia
fizesse jus ao seu criado-mudo.





Flora Figueiredo

segunda-feira, 6 de abril de 2015


Usavam palavras grandes: 

ninguém, mundo, sempre.



Morangos Mofados

"Os únicos presentes do mar são golpes duros… e às vezes a chance de sentir-se forte. 
Eu não sei muito sobre o mar, mas sei que as coisas são assim por aqui. 
E também sei como é importante na vida não necessariamente ser forte, mas sentir-se forte, confrontar-se ao menos uma vez, achar-se ao menos uma vez na mais antiga condição humana: enfrentar a pedra surda e cega a sós, sem ajuda além das próprias mãos e da mente"



Alexander Supertramp

Nossa maneira de ver e viver reflete - e repete - aquela com que fomos vistos quando éramos somente reflexo no espelho, ou vamos formando uma postura própria com todo o esforço e dor que isso possa exigir?

Sendo contraditórios, somamos hesitação e medo com audácia e fervor. 
Podemos nos esconder no quarto escuro ou virar a cara para o sol, alternar as duas posturas, gastar e consumir, amealhar e multiplicar. 
Somos tudo isso. 
Nossa anistia ou nossa aniquilação.



Lya Luft

domingo, 5 de abril de 2015


Morrerei sem retratos. 
Nem de mim nem de ti
nem de uma ou outra mão que me tocou o ombro.
(O esforço é um revigorante da memória – 
deixemos o assunto por aqui).
Morrerei sem cadastros, sem datas ou saltérios,
com que embalar as noites às crianças do bairro,
e dessas perdas a que mais me doerá 
é a caligrafia do teu punho nervoso. 




Miguel Martins

quarta-feira, 1 de abril de 2015

Entardece devagar....


Entardece devagar. 
É a hora metafísica do silêncio, de a razão não ter razão. 
É a hora de a arrogância das convicções fazer menos barulho, de o mistério aparecer. 
(...) Entardece, a noite vem aí. 
Da derrocada universal, o mistério como um fumo que se levanta. 
Olha, escuta. 
É a hora da verdade de seres, que é a única verdade. 
A noite vem aí. 
Vem devagar como uma suspeita oblíqua. 
E de tudo o que falhou e morreu, uma mão leve que desça sobre ti com a paz do adormecer.



Vergílio Ferreira
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...